Bem-vindo à Quite

Parceiros

Novidades Quite

  • 03/05/2018 17:35:29 SAFETY DAY 2018

    Shell em todo mundo estará celebrando o Safety Day (03/05/18), que é o dia dedicado a falarmos de segurança em todas operações da CIA.

    03/05/2018 17:35:29 SAFETY DAY 2018

     

    NORMALIZACÃO DE RISCOS

    A normalização de riscos é um processo mental que permite que você ligue o gás de seu fogão ou dirija seu carro sem

    sentir um medo paralisante de que sua casa irá explodir ou de sofrer um acidente.

    É normal e humano normalizar riscos. Nós fazemos isso o tempo todo.

    A normalização de riscos se torna um problema no trabalho quando nos acostumamos e nos sentimos confortáveis

    com riscos que não deveríamos. Mas pode ser difícil encontrar os riscos principais em seu trabalho.

    Ideias sobre Normalização de riscos

    Há uma série de fatores que influenciam a probabilidade de normalização de riscos:

    Controle - você sente que tem controle do resultado e subestima o risco

    Familiaridade - se você encontra um risco regularmente sem que ocorra nenhum incidente, isso aumenta a

    probabilidade de que você perceba esse risco como menor.

    Hábito - se você tem uma rotina e certos hábitos em seu trabalho onde pensa menos sobre uma tarefa do que

    costumava pensar, você começa a normalizar riscos e aumenta a chance de errar. Por exemplo, se uma discussão

    anterior a um trabalho é um exercício de “seguir uma lista”, é provável que isso se torne chato e reforce a

    normalização de riscos

     

    DILEMAS:

     

    Um Dilema é um problema. Mas, diferente da maioria dos problemas, ele apresenta duas soluções (Di-lema) e

    nenhuma delas é claramente aceitável ou melhor. A frase: “Estar entre a cruz e a espada” muitas vezes vem à

    mente quando passamos por um dilema.

    Como um distribuidor Shell, nós resolvemos problemas o tempo todo, mas os dilemas são mais desafiadores. Lidar com dilemas

    não é como resolver problemas tradicionais. Somos treinados e ouvimos que todo problema tem uma solução.

    Isso também é verdade sobre um dilema, mas as soluções podem ser igualmente boas ou ruins, talvez não

    exatamente da mesma forma.

    A escolha da solução de um dilema pode não ser baseada somente em fatos, mas em opiniões, sentimentos ou

    Tendências. Podemos nos deparar com prioridades conflituosas ou obscuras, podemos decidir não falar por ter

    medo ou vergonha. Ao passarmos por um dilema, ter mais informações não é necessariamente algo que

    ajuda.

    Para abordar um dilema, é preciso ter a mentalidade certa. As escolhas estão alinhadas com a meta de Zero Acidentes (Goal Zero)?

    Consultamos pessoas que podem oferecer diferentes opiniões ou conhecimento sobre o problema e suas

    soluções? Somos objetivos ou há tendenciosidades nos impedindo de selecionar uma solução? Estamos

    envergonhados ou com medo de admitir que não temos uma resposta rápida?

     

    CUIDADOS:

     

    O que queremos dizer com CUIDADOS

    Cuidado tem significados diferentes para diferentes pessoas. Pode significar atender às necessidades básicas de um indivíduo, desde

    conforto e segurança até assegurar que se sinta satisfeito e engajado no trabalho. Também pode significar coisas diferentes em épocas

    diferentes. Podemos pensar em CUIDADOS de três formas:

    1. Cuidado como um indivíduo

    Isso significa satisfazer suas próprias necessidades e vontades pessoais: saúde, segurança, sentir-se valorizado no trabalho e viver um

    equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.

     

    2. Cuidado nos times

    Isso tem a ver com trabalhar em equipe num ambiente amigável, sentir-se seguro e confortável o suficiente para dizer o que pensa,

    identificar quando um membro do time precisa de suporte adicional e tomar ações tangíveis para lidar com isso.

     

    3. Cuidado na empresa

    Isso significa como a empresa garante que os ambientes, papeis, procedimentos e práticas no trabalho dão suporte ao

    engajamento dos funcionários, diversidade e inclusão e empoderam os indivíduos.

     

    Contamos com a participação de todos em suas respectivas sessões.

     

    Contribuição das informações
    Fernando Ferreira

  • 13/09/2015 09:13:59 HSSE - CAMPANHA SEGURANÇA RODOVIÁRIA

    A CHAVE DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO ESTÁ EM SUAS MÃOS

    13/09/2015 09:13:59 HSSE - CAMPANHA SEGURANÇA RODOVIÁRIA

    A PÉSSIMA ESCOLHA DA VELOCIDADE É COMUM

    Especialistas em segurança no trânsito destacam que a primeira causa de mortes nas vias públicas em todo o mundo é a péssima escolha da velocidade feita pelos motoristas, comumente conhecida como o uso de velocidade inadequada ou de excesso de velocidade. Velocidades mais altas aumentam o risco de uma colisão, pois é mais provável que o condutor perca o controle do veículo; não se antecipe a tempo aos perigos que se aproximam e faça com que os outros usuários da via subestimem a velocidade do seu deslocamento. Além disso, tanto o tempo de reação do condutor quanto a sua capacidade de frear, controlar e parar o veículo, serão maiores se estiver trafegando em velocidade inadequada ou excessiva. Estudos revelam que o tempo de reação de um motorista diante de uma situação de emergência vai de 1,5 a quatro segundos e as consequências desse intervalo, associadas à velocidade inadequada ou excessiva são demonstradas na distância de parada de um veículo durante uma freada de emergência, como demonstra a tabela abaixo.

    Estudos mostram que velocidades de apenas 5 km/h acima da média de 60 km/h em áreas urbanas, e de 10 km/h acima da média em áreas rurais dobram o risco de uma colisão com vítimas fatais e é equivalente ao aumento do risco associado a uma concentração de álcool no sangue de 0,05 g/100 ml (limite de álcool

    PEQUENOS AUMENTOS NA VELOCIDADE DOBRAM O RISCO DE COLISÃO E ACIDENTES

     

    Para cada 1% acima da velocidade máxima permitida em determinado trecho, os motoristas estão expostos a possibilidade de 5% a mais em fatalidades e 3% em acidentes. Fonte: Organização Mundial de Saúde no sangue para dirigir em diversos países). As evidências indicam que o “excesso moderado de velocidade” (entre 10km/h ou 15 km/h acima do limite da via) contribui para colisões graves, tanto quanto as velocidades mais elevadas, justo por ser uma prática mais comum entre os motoristas.

    Hsse Campanha

ler mais
  • Conheça nossa linha de Produtos
  • Conheça nossa Empresa
  • Entre em contato